Com Cassio Audi como baterista, conheça a história da banda Viper

A Banda Viper surgiu no cenário nacional em 1985. A formação inicial contava com o vocalista André Matos, os guitarristas Felipe Machado e Yves Passarell, o baterista Cassio Audi e o baixista Pit Passarell. O quinteto fazia um som pesado, que logo caiu no gosto do público amante do Heavy Metal.

O marco inicial que tornou a Viper conhecida foi o Projeto SP Metal, uma iniciativa de Luiz Calanca, proprietário de uma loja para compra e venda de discos usados localizada na tradicional Avenida São João, na Cidade de São Paulo.

A ideia de Calanca ao lançar o projeto era proporcionar para a turma com tendência musical mais pauleira um espaço para que pudessem canalizar suas energias e, de quebra, mostrar o trabalho que estavam desenvolvendo.

Foi por essa via que aquela banda debutante, formada por adolescentes, entrou em contato com o nicho dos aficionados que viriam a fazer parte de seu público cativo. Além da Viper, participaram do Projeto SP Metal as Bandas Avenger, Centúrias e Salário Mínimo, todas novatas e igualmente desconhecidas à época. Apesar da baixa qualidade técnica dos registros, as gravações acabaram passando para a história do Heavy Metal brasileiro e tornaram-se referência para os amantes do gênero.

A partir da iniciativa de Luiz calanca foi que os agudos de André Matos passaram a ecoar mais fortemente. Da mesma forma, os acordes das guitarras de Felipe Machado e Yves Passarell, a marcação do baixo de Pit Passarell e as batidas firmes do baterista Cassio Audi começaram a ganhar a admiração dos fãs.

Também considerado como trabalho de apresentação da Viper está o vídeo demo The Killera Sword, produzido ainda em 1985, na esteira do sucesso do Projeto SP Metal. Para a gravação foi mantida a formação original, com André Matos, Yves e Pit Passarell, Felipe Machado e Cassio Audi.

A Banda Viper, que tinha Cassio Audi como baterista, manteve a trajetória de êxito. Um de seus álbuns, o Soldiers of Sunrise, é frequentemente citado como um dos melhores já produzidos por um grupo brasileiro de Heavy Metal. A repercussão foi tão positiva que os rapazes chegaram a ser apelidados de Iron Maiden brasileiro, passando a merecer referências elogiosas também da crítica internacional. Na Europa, o maior reconhecimento aconteceu na Alemanha e na Hungria; no continente asiático, a Viper recebeu grande destaque no Japão, país em que vendeu mais discos do que as gigantes Nirvana, Van Halen e Firehouse.

Hoje em dia, mais de três décadas depois de sua aparição, a Banda Viper ainda se apresenta pelo país. A frequência não é a mesma de antes, uma vez que seus integrantes desenvolvem outros projetos profissionais individuais.

Ainda vestem a camisa o vocalista André Matos, o baixista Pit Passarell e o guitarrista Felipe Machado, aos quais se juntaram o também guitarrista Hugo Mariutti e o baterista Guilherme Martin. Já não participam mais da formação, Yves Passarell e Cassio Audi.

As guitarras de Yves Passarell atualmente acompanham o Capital Inicial.

Comments are disabled